Um fino e tremoços, por favor

Categoria

Fazer Sair

Autor

Livraria Lello

O verão pede uma cerveja bem fresquinha, acompanha com uns bons tremoços ou amendoins. Sabia que o Porto tem várias marcas de cerveja artesanal e bares onde pode prová-las? E que também tem um festival dedicado à cerveja e uma Casa da Cerveja? Venha connosco neste roteiro. Para beber com moderação, claro.

Foto: Catraio Craft Beer Shop

Cervejas com pronúncia do norte

Comecemos pelo início. Se está no Porto a relaxar numa das maravilhosas esplanadas a apanhar sol e apetece-lhe uma cerveja bem fresquinha, saiba que aqui se pede “um fino”, bem diferente da “imperial” mais a sul. Não se confunda é a mesma coisa, os termos é que são diferentes.

Esclarecidos os termos que dividem o norte do sul, vamos ao que interessa: falar de cerveja. Os ingredientes já sabe: água, malte, leveduras e lúpulo. Esta é a base à qual são acrescentados outros elementos que as diferenciam na textura e no sabor. Os consumidores estão cada vez mais exigentes e procuram cervejas diferenciadoras o que pode explicar o boom de marcas de cerveja artesanal em Portugal.

Foto: Sovina

Sabia que a primeira cerveja artesanal portuguesa nasceu na Invicta? A Sovina é conhecida em todo o país e lá fora onde a marca está presente, em Espanha, França, Luxemburgo e Estónia. Com uma produção mensal de 10 mil litros/mês e previsão de, em novembro, aumentar a capacidade para 16 mil litros/mês, a Sovina apresenta cinco variedades fixas no cardápio e algumas edições especiais como a recente Sibila, feita com uma seleção de ervas aromáticas.  A marca dos Três Cervejeiros aposta em produtos e formação para quem quiser aprender a fazer a sua própria cerveja com a ajuda dos mestres cervejeiros. Encontra tudo o que precisa na Loja Cervejeira da Sovina.

Foto: Post Scriptum

Incontornável neste mercado de cerveja artesanal é a Post Scriptum criada pelo mestre cervejeiro Pedro Sousa em 2013, ele que foi um dos fundadores da Sovina e, mais tarde, lançou-se num projeto a solo. Na fábrica de cerveja artesanal, na Trofa, saem as criações do mestre cervejeiro que dedicou mais de 20 anos a testar e experimentar novas matérias, provenientes de diferentes partes do globo. Atualmente, a fábrica está a produzir na capacidade máxima (20 mil litros/mês) e, dentro de um mês vai aumentar a capacidade de produção para 50 mil litros/mês. Além da marca própria, aqui são produzidas cervejas para 32 marcas diferentes.

A Post Scriptum prepara-se para lançar várias novidades no mercado: a cerveja “Extrema” (uma Munich Dunkel e uma Light APA) e, muito em breve, a primeira cerveja do estilo Lambic a ser produzida em Portugal, com 3 anos de fermentação. As novidades da marca serão lançadas todos os meses no bar Almada 437, no Porto. E para os que querem aprender a fazer cerveja artesanal há workshops e provas regulares na Fábrica da Post Scriptum, na Trofa.

Nos últimos três anos surgiram no Porto várias marcas de cerveja artesanal, algumas instalaram inclusive as fábricas no centro da cidade. OPO 74, Lindinha Lucas, Burguesa, Vandoma Colossus e Nortada, são exemplos de marcas com pronúncia do norte.

A Nortada é a mais recente aposta neste mercado e tem um nome curioso que os nortenhos conhecem bem. É nada mais nada menos que o vento frio que se faz sentir praias da região durante o verão. A Nortada sai das cubas da nova Fábrica de Cervejas Portuense, instalada na Baixa da cidade e que, em breve, vai funcionar também como bar e restaurante. As quatro variedades de cerveja artesanal têm o nome de várias freguesias da cidade: Bonfim (Vienna lager), Massarelos (Indian pale ale), Miragaia (Brown porter) e a Campanhã (Imperial stout).

Onde provar cerveja artesanal?

Foto: Catraio Craft Beer Shop

As cervejas artesanais que saem das fábricas portuenses e da região Norte do país podem ser degustadas, à pressão ou em garrafa, em vários restaurantes e bares da cidade, onde também estão à venda se quiser levar como recordação.

O Catraio Craft Beer Shop foi o primeiro bar de cerveja artesanal do Porto e, desde 2015, funciona como uma montra do que de melhor se faz em Portugal em matéria de cerveja artesanal. São cerca de 170 referências (100 portuguesas e 70 internacionais) para provar e comprar. No bar existem 12 cervejas de pressão rotativas que pode provar. A cerveja da casa (de pressão) custa 1.5€ e a média de cervejas ronda os 2.5€ por copo. Aqui faz-se o aquecimento para o Porto Beer Fest e, diariamente, vai haver after party depois do festival da cerveja que vai estar instalado nos Jardins do Palácio de Cristal.

Uma das maiores referências de cerveja artesanal portuguesa, a Letra, abriu recentemente o bar Letraria Craft Beer Garden, que nasceu da parceria entre a marca bracarense que dá o nome ao bar, a dinamarquesa Mikkeller e o Artbeerfest Caminha. Neste espaço encontra uma enorme variedade de cervejas servidas à pressão, onde não faltam claro as coqueluches da Letra (da letra A à letra F), produzida numa fábrica em Vila Verde, Braga, que também está aberto ao público como brewpub. Para acompanhar com hambúrgueres, sanduíches ou bifes que constam do menu, com uma particularidade: muitas das receitas incluem na sua confeção cerveja. À boleia do Porto Beer Fest estão programadas várias atividades. Tome nota: degustações, harmonizações, lançamentos de novas cervejas, muita música, e uma grande festa no jardim com gelado e cocktails de cerveja.

A boa notícia é que os espaços que surgiram recentemente no Porto, além de apresentam uma carta variada de cervejas artesanais acompanhadas com petiscos, têm jardins com esplanadas para os dias quentes de verão. Acredite que a cerveja até vai saber melhor.

Sugerimos uma visita à Fábrica da Picaria onde está instalada uma mini fábrica como o nome indica. Não acredita? Passe por lá e experimente uma das seis cervejas que saem diretamente das cubas de inox que ocupam o espaço de dois andares deste brewpub. Aqui o conceito é “da cuba para o copo”, ou seja, pode provar a cerveja no seu estado mais puro, com o mínimo de alterações ao nível das suas características, sem esta passar por nenhum processo de enchimento em garrafa ou em barril.

Foto: Levare Brewpub

O ambiente de uma fábrica de cerveja é o que vai encontrar também no Levare Brewpub, um conceito que junta no mesmo espaço uma fábrica, um brewpub e um restaurante. Aqui também as cervejas saem diretamente das cubas para provar no local ou em garrafa para levar para casa. Há cinco opções para degustar: Levare Lager, American IPA, Brown Porter, Witbier, Belgian Tripel, (o preço médio é de 3,50€). E como estamos num restaurante, a ideia é mesmo essa: harmonizar as cervejas com snacks variados, como a francesinha à Levare, o prego com bife do Lombo ou Alcatra, hambúrgueres artesanais de novilho ou de bacalhau, ou pratos mais elaborados como o bacalhau confitado com gambas, bife do vazio com molho mostarda ou molho de cerveja, joelho de porco, mariscos, etc.

Foto: Armazém da Cerveja

No Armazém da Cerveja, que abriu há poucas semanas, o nome não engana. É um repositório de mais 90 variedades de cerveja (30 a 40% são cervejas portuguesas, onde se incluem as nortenhas Post Scriptum, OPO 47 ou Colossus) . Para provar há sete cervejas de pressão, com a garantia que nenhuma é repetida. A cerveja vem sempre acompanhada de um petisco salgado e, os mais esfomeados, podem levar comida para partilhar numa das mesas comunitárias. Um novo espaço simples, acolhedor e descomplicado para todos os amantes e curiosos de cerveja de qualidade.

Neste roteiro de cerveja artesanal inclua ainda estes locais: Pausa Bar, Bonaparte e Cervejaria do Carmo.

Porto Beer Fest

As cervejas artesanais produzidas em Portugal e no mundo vão estar em prova no Porto Beer Fest, entre 14 e 18 de junho, nos Jardins do Palácio de Cristal. A segunda edição do festival de cerveja artesanal recebe alguns dos melhores cervejeiros do mundo com mais de 200 cervejas diferentes para provar. Do programa constam harmonizações com gastronomia, provas comentadas, oficinas, masterclasses e muita animação com concertos, performances, atuações teatrais, entre outras iniciativas. A entrada é livre.

Casa da Cerveja

Foto: Casa da Cerveja

Sabia que a cerveja portuguesa mais vendida no mundo é produzida no Grande Porto? Produzida na Unicer, em Leça do Balio, a famosa Super Bock é um fenómeno de vendas, detentora de vários prémios e recordes. O Espaço 77, na Baixa do Porto, é o que vende mais minis no país há seis anos seguidos. O preço ajuda: 50 cêntimos cada garrafinha de 20 cl.

A famosa Super Bock também tem o seu segmento de produção de cerveja artesanal com a marca Super Bock Seleção 1927, que vai estar em prova no Porto Beer Fest. A marca tem quase um século de história que pode ser vista na Casa da Cerveja, com a particularidade de estar integrada na fábrica da cervejeira onde pode ver como é feito o seu fabrico (inclusive a sala onde é feita a prova do mosto). Funciona de quarta a domingo, as visitas têm a duração de 90 minutos e a entrada o custo de 10€.