Próxima paragem: Maus Hábitos

Categoria

Fazer Sair

Autor

Livraria Lello

Como se define o Maus Hábitos? Galeria de arte? Espaço cultural? Bar? Restaurante? Espaço de espetáculos e intervenções artísticas? Sala de concertos? É um pouco de tudo isto. E muito mais. Para Daniel Pires, fundador do Maus Hábitos, este ocupa um espaço entre o que designamos de galeria de arte e um museu. No meio destas duas realidades não existe nada e o Maus Hábitos cabe perfeitamente nesse lugar.

Nascido no Porto, em Campanhã, Daniel começou a trabalhar como fotógrafo. O 4º e 5º pisos deste edifício na Rua de Passos Manuel revelaram-se o espaço ideal para fazer um estúdio para os trabalhos de fotografia que desenvolvia para a indústria têxtil. Depois de um período de crise nesta indústria, o Porto 2001 capital europeia da cultura surgiu como oportunidade e no dia 1 de Abril o Maus Hábitos abria portas com o propósito que ainda hoje desenvolve: ser um espaço da e para a comunidade artística, para a experimentação. Os parceiros de Daniel neste projecto, Isaque Pinheiro e João Baeta, são artistas plásticos, conhecendo por dentro o meio.

No mesmo espaço de experimentação cultural encontramos sediada a empresa Bondlayer que aluga parte do espaço do Maus Hábitos e que, segundo Daniel, desenvolve projectos web  para espaços, eventos e entidades culturais ao dobro da velocidade e da qualidade de outras empresas concorrentes. Daniel considera que essa sempre foi uma prioridade: desenvolver parcerias e reunir sinergias com empresas relevantes para a actividade do Maus Hábitos.

Para além de tudo o que se passa dentro do espaço do Maus Hábitos, ainda se desenvolvem algumas actividades fora de portas – um workshop de construção de papagaios nas praias do Porto é só um exemplo.

E se toda a agenda do Maus Hábitos não for suficiente, ainda nos acenam com o restaurante “Vícios de Mesa”. Abriu há 10 anos, tem almoços e jantares e agora um brunch ao sábado e ao domingo. A cereja no topo do bolo? A espectacular vista sobre a cidade do Porto.