10 Monumentos no Porto a não perder

Categoria

Visitar

Autor

Livraria Lello

Pela Invicta? Damos-lhe 10 monumentos no Porto que não pode perder!

Seja pela vista ou pelo valor patrimonial, há monumentos no Porto que não deixam ninguém indiferente.

Livraria Lello

lello

Podia ter saído de um livro? Podia. Podia ter inspirado um livro? Também. É exatamente isso que acontece dentro da Livraria Lello, num edifício de 1906. Aqui dentro há tempo para tudo: ver os livros todos (e são muitos), subir as escadas que fazem lembrar a escola de magia do Harry Potter e ainda atentar no vitral do teto.

Igreja e Torre dos Clérigos

torre-dos-clerigos

Em pleno Património Cultural da Humanidade, a Baixa, encontram-se a Igreja e a Torre dos Clérigos. A torre mais alta do país conta com seis andares e 75 metros de altura e são precisos 225 degraus para ter acesso a uma das paisagens mais bonitas sobre o Porto, desde a baixa até à Foz, sempre com o rio Douro como pano de fundo. O projeto arquitetónico ficou, em 1754, quando começou a ser construída, a cargo do italiano Nicolau Nasoni. Definitivamente um dos monumentos do Porto a não perder!

Mosteiro da Serra do Pilar

serra-do-pilar

O Mosteiro da Serra do Pilar, em Gaia, é Património da Humanidade. Este é um monumento único no país, já que conta com uma igreja de planta circular, assim como um claustro também ele circular com 36 colunas jónicas. A obra demorou 72 anos até estar concluída mas a espera foi bem recompensada, já que a vista do jardim (e do miradouro) é uma das mais bonitas sobre o Porto.

Ponte D. Luís I

ponte-d-luis

É a ponte mais famosa da cidade e, por isso mesmo, merece ser um dos 10 monumentos do Porto que tem de visitar. É, na verdade, a forma mais fácil e prazerosa de passar de Gaia para o Porto (e vice-versa). Foi projetada por um discípulo de Eiffel (sim, o mesmo que dá o nome à torre parisiense) nos finais do século XIX e permite a passagem de metros, carros e passageiros. Se preferir ficar em terra, saiba que há um pequeno café com uma esplanada agradável sobre o rio que também lhe dão uma vista bonita sobre o rio.

Capela das Almas

capela-das-almas

Em plena Rua de Santa Catarina há uma capela que faz parar muita gente – turistas e locais. A Capela das Almas é só século XVIII e a sua característica mais diferenciadora é o revestimento de azulejos de Eduardo Leite. Cobrem uma superfície que ronda os 360 metros quadrados e mostram a vida de São Francisco de Assis e de Santa Catarina. Além disso, há ainda um vitral na fachada que chama muitos curiosos.

Forte de São Francisco Xavier

castelo-queijo

Este monumento do Porto é mais conhecido por Castelo do Queijo do que pelo seu nome oficial, Forte de São Francisco Xavier.  Construído no século XV no penedo do Queijo, é um dos monumentos do Porto mais visitados. Foi restaurado há poucos anos pela Associação de Comandos e é agora um museu militar dada a sua importância histórica e estratégica.

Sé Catedral

se-do-porto

A Sé Catedral do Porto é do estilo românico e foi construída no século XII. Mais tarde foi construída a torre-lanterna e a grande rosácea que a caracteriza. A capela-mor ficou pronta no século XVIII e o portal rocócó da fachada foi projetado por Nicolau Nasoni em 1736. Vale nem a pena a visita pela paisagem que oferece, de uma zona mais alta da cidade e pela beleza exterior e interior da Sé. Além disso ainda se celebram aqui missas.

Palácio da Bolsa

palacio-da-bolsa

Mesmo ao lado da Igreja de São Francisco, a dois passos da Ribeira, fica o imponente Palácio da Bolsa, de 1842.  Sob a chancela da Associação Comercial do Porto, este monumento é um dos mais procurados da cidade, sendo até palco da maioria das receções oficiais do Estado na zona Norte. Na visita que pode fazer ao Palácio da Bolsa aproveite para ver o Pátio das Nações e a Sala do Presidente, assim como o Salão Árabe, coberto de desenhos a azul e ouro.

Mosteiro de São Bento da Vitória

sao-bento

Este convento do final do século XVI é um dos monumentos mais procurados da cidade pelo seu interior, onde pode encontrar retábulos em talha dourada. O coro tem uma das peças ex-líbris da cidade, um conjunto em talha que representa a vida de São Bento.

Casa do Infante

casa-do-infante

Também conhecida por Alfândega Velha, a Casa do Infante marca o local onde nasceu o Infante D. Henrique, daí o nome. Serviu posteriormente para inspecionar o comércio que chegava ao Porto pelo rio Douro. Em 1924 foi classificada como Monumento Nacional e já em pleno séxulo XX foram descobertos vestígios de um palácio da época romana.